Candidatas protestam por cota feminina do fundo especial eleitoral

Candidatas protestam por cota feminina do fundo especial eleitoral Foto: Candidatas

As candidatas se reuniram na frente do prédio da Justiça eleitoral com um cartaz de protesto, todas procurando uma resposta para a pergunta incluída na mensagem: onde está o dinheiro? O grupo representa 28 mulheres que se candidataram a um cargo na Câmara Municipal pela coligação PSB, PSD, PSC e DEM, que apoia Tiago Amaral para a Prefeitura de Londrina. A maioria tenta chegar ao Legislativo pela primeira vez.

A reivindicação é que a cota feminina de 30 por cento do fundo especial, regra instituída esse ano pelo tribunal superior eleitoral, ainda não foi repassada, e isso a menos de uma semana das eleições municipais. Segundo as representantes do movimento, as siglas partidárias dão informações desencontradas sobre o assunto.

sem o dinheiro, as mulheres disseram que têm contado com a ajuda de amigos e familiares para fazer campanha.

A coligação do candidato Tiago Amaral emitiu uma nota sobre assunto, veja ela na integra:

A Coligação Londrina Forte de Novo, por acreditar na transparência e no respeito com a população, vem explicar o funcionamento da distribuição de recursos eleitorais para mulheres.

Muitas mudanças ocorreram no financiamento de campanhas políticas nos últimos anos. Após a proibição de doação por empresas foi criado o Fundo Especial de Financiamento de Campanha - FEFC, um fundo público exclusivo para as eleições, distribuído para cada partido a partir de critérios já fixados.

Posteriormente, por reconhecer a grave desigualdade entre homens e mulheres em cargos políticos, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que o repasse desses recursos e do Fundo Partidário deve ser proporcional ao número de mulheres que concorrem nas respectivas eleições.

A fiscalização das prestações de contas se dá de forma diferente. Enquanto a proporção dos valores do FEFC é calculada pelos diretórios nacionais dos partidos, fazendo a conta e distribuição com base nos números de todo o Brasil, o Fundo Partidário é calculado pelo órgão que doou. Dessa forma, os diretórios nacionais são os responsáveis pelo Fundo Especial e direcionam os valores previamente.

Como se percebe da prestação de contas da Coligação Londrina Forte de Novo, disponível em todas as plataformas da Justiça Eleitoral, não foi recebido qualquer valor do Fundo Partidário, tendo-se apenas os valores direcionados para a campanha majoritária.

Ainda que a eleição majoritária seja dissociada da proporcional, e que não haja coligação para as eleições proporcionais, o assunto não foi deixado de lado. Por saber da importância da pauta, da defesa de direitos e do trabalho conjunto para construir uma Londrina forte e melhor para toda a população, a Coligação tem concentrado os principais custos de campanha, como o de material gráfico. Acompanhados do contato direto com a população, é o que permite que os cidadãos realmente conheçam as propostas para a cidade.

Essa concentração otimiza os gastos, por conseguir melhores preços e um melhor uso dos recursos públicos, como também facilita uma melhor fiscalização e regularidade das prestações de contas.

A Coligação Londrina Forte de Novo mantém-se aberta ao diálogo e trabalhando diariamente por uma cidade com mais empregos, respeito, oportunidades e justiça.

Foto: Candidatas

Rádio Almagro FM

Rate this item
(0 votes)
Última modificação em Terça, 10 Novembro 2020 00:10

Deixe um comentário em nosso mural

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). Código HTML não é permitido.